Candidato a vereador do DEM é assassinado

A Polícia não acredita que o crime tenha motivação eleitoral. A vítima era agente penitenciário da CPPL I

O candidato a vereador e agente penitenciário Elias Alves da Silva, 27, foi assassinado, na noite de ontem, no bairro Aracapé (Zona Sul da Capital). Além dele, o locutor Emanoel Ferreira Filho, 43 (deficiente visual), que estava no veículo de campanha do candidato, também foi baleado e levado por moradores para o ´Frotinha´ de Parangaba.Vários tiros foram disparados contra o carro de som de campanha que era dirigido pelo candidato. Os três assassinos ainda perseguiram Elias Alves e o mataram com uma facada no pescoço. A vizinhança ouviu os gritos de socorro.

De acordo com o cabo Valmir, fiscal do Ronda do Quarteirão, Elias guiava o Chevette, de placas HVL-7723, e fazia campanha pelo bairro Aracapé, quando teve o veículo interceptado por três homens não identificados, na Rua Doutor Procópio.

Os pistoleiros efetuaram vários disparos e atingiram Emanoel. Elias desceu do carro e tentou fugir dos matadores, mas foi perseguido por cerca de 50 metros. “Estava dentro de casa, ouvi tiros e uma pessoa pedindo socorro, gritando para alguém abrir a porta. Quando saí, encontrei esta cena aí”.

O morador, que pediu para não ser identificado, se referia ao corpo do candidato do Partido dos Democratas (DEM), apresentando um profundo golpe no pescoço, que quase o degolou. Parentes de Elias Alves chegaram rapidamente ao local do crime e não se conformavam com a violência. Raimundo Ferreira, cunhado da vítima, disse que ele era evangélico e não “apoiava coisa errada”.

Antes de licenciar-se para concorrer a uma vaga na Câmara dos Vereadores de Fortaleza, o agente trabalhava na Casa de Privação Provisória de Liberdade I (CPPL) I), em Itaitinga.

Ameaças

Segundo um agente (identidade preservada) do Serviço de Inteligência da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), o crime pode ter ligação com o trabalho de Elias na CPPL. “Os presos disseram que iriam matar qualquer agente da nossa unidade”.No local do crime, a Polícia encontrou dificuldades para obter informações. Com medo de represália dos pistoleiros, os moradores pouco falaram sobre o caso

Conforme o colega de trabalho de Elias, ele já havia recebido ameaças de morte há cerca de seis meses dentro do presídio. “Acredito que eles descobriram que ele estava andando desarmado por aqui e praticaram o crime”, revelou.

O major PM Océlio Alves, que estava na Supervisão de Policiamento da Capital na noite de ontem, compareceu ao local do crime e orientou as patrulhas na caça aos acusados. “Estamos buscando informações das testemunhas. O agente era muito rígido no trabalho dele e o crime pode ter sido motivado por isso”, afirmou o oficial.

 

PROTAGONISTA

Vítima exercia a profissão de agente na CPPL I

Elias Alves da Silva tinha 27 anos e era natural de Fortaleza. Servidor público, era agente penitenciário, mas estava licenciado da função para trabalhar na campanha para vereador de Fortaleza. Era filiado ao Partido dos Democratas (DEM), com o número 25888. Exercia sua profissão na segurança interna da Casa de Privação Provisória da Liberdade I, no Município de Itaitinga. Era evangélico e casado. Morava no bairro Aracapé.

EMERSON RODRIGUES
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Comentários

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios