Deputados debatem efeitos da estiagem

O deputado Ely Aguiar (PSDC).

Situação calamitosa suscita debate sobre políticas públicas voltadas para o homem do campo.

As notícias sobre os efeitos da mais longa estiagem que hoje afeta 178 municípios cearenses, do total de 184, norteada pela Fundação de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), ser a quinta pior da história, levou parlamentares à tribuna da Casa Legislativa a fazerem um levantamento sobre as atuais políticas públicas voltadas para amenizar o sofrimento do homem do campo.

O deputado Ely Aguiar (PSDC) salientou que hoje o Ceará vive uma seca torrencial, no qual está levando o povo nordestino a passar sede e fome. Diante desta situação, o parlamentar afirmou estar preocupado, por ler em alguns blogs e colunas, que assessores ligados ao governador Cid Gomes, estariam incentivando à vinda do cantor Paul McCartney para a reinauguração do Estádio Castelão.

“Fico preocupado porque o cachê de Paul McCartney custa cerca de US$ 4,5 milhões para vir cantar na América do Sul”, segundo Ely, caso afirmação seja verdadeira, considera o fato inaceitável, “estamos vendo os problemas que o Ceará enfrenta com a seca, a população precisa estar atenta, para que isto não venha acontecer”.

Em aparte, o líder interino do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Sérgio Aguiar (PSB), afirmou que, diante dos problemas da seca no interior do Estado, o governo tem grandes preocupações para combater com urgência a estiagem que assola o interior do Estado, inclusive com a parceria com a Defesa Civil e o Exército. “A possível vinda de Paul McCartney, não terá o patrocínio oficial do governo e nem pela máquina pública do Estado”, afirmou.

Aguiar falou para o jornal O Estado que, “desde quando foi decretado estado de emergência no Estado, o Governo está tomando todas as decisões cabíveis, como, as ações necessárias em relação ao abastecimento de água, utilizando carros-pipa, disponibilizados pela Defesa Civil e o pagamento do auxílio estiagem, no qual foi feito no mês de julho”. Para Aguiar, o que mais preocupa o Governo, são as previsões feitas pela Funceme, sobre o inverno do ano que vem.

“Na tentativa de reduzir os efeitos da estiagem, o Governo está investindo no projeto Cinturão das Águas que nasce no município de Jati, por onde chegarão as águas do rio São Francisco ao Ceará, e se estenderá por 160 quilômetros até Cariús, levando água para uma das regiões mais secas do Sertão dos Inhamuns”, destacou.

Antônio Carlos (PT), ressaltou o projeto de Integração do rio São Francisco, no qual foi homologado na última sexta-feira (31), com a presença do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, no qual, compreende a construção de seis novos reservatórios no lote 5, além da ampliação do reservatório de atalho.

A obra que terá o investimento de 518 milhões vai beneficiar cerca de três milhões de cearenses. O projeto de integração do rio São Francisco, vai ser ligado ao Cinturão das Águas, e está orçado em R$ 1 bilhão e 300 milhões, com investimentos do Governo Federal. “Esta é uma batalha que vários parlamentares vieram à tribuna para cobrar”, registrou o petista.

Outro parlamentar a retratar o agravamento da seca no Ceará foi o deputado Lula Morais (PCdoB). O parlamentar ressaltou que a questão mais urgente “é a falta de água potável para consumo, porque o problema da fome foi diminuído pelos programas sociais, e as transferências de renda que o Governo Federal vem desenvolvendo”. Morais afirmou que na última segunda-feira (3), visitou a Defesa Civil e averiguou que os carros-pipa chegaram a todos municípios no cronograma de 30 dias.

FALTA DE GRÃOS
O deputado Sérgio Aguiar (PSB), afirmou que amanhã (6), será feito um pregão para que o Estado do Ceará possa contratar transportes para irem buscar os grãos que estão em outros centros fora do Ceará. “É uma forma de o Governo contribuir e minorar os efeitos pela falta de grãos”, afirmou. O parlamentar ainda ressaltou que, “o Governo decidiu que seria vigente os descontos no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), na entrada de produtos agrícolas, como o milho para a avicultura. O rebate no ICMS foi uma forma de amenizar os prejuízos agravados pela seca, e consequentemente não permitir o aumento do preço para público consumidor cearense”, pontuou.

 

Fonte: Jornal O Estado Ce

Comentários

Comentários

Tags
Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios