Greve chega ao fim e bancos reabrirão nesta sexta-feira no Ceará

Foto: Divulgação

A greve no Ceará perdeu força com o fim da paralisação em parte do Brasil na última quarta-feira

Um dia após decidir pela manutenção da greve, o Sindicato dos Bancários do Ceará realizou nova assembleia nesta quinta-feira (27), onde os trabalhadores aprovaram o fim da paralisação começada no dia 18 de setembro em todo o País. Com a decisão, os bancários de instituições públicas e privadas do Estado voltarão aos postos de trabalho já na manhã desta sexta-feira (28).

Assim, os sidicalistas cearenses passam a seguir a orientação da Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) de aprovar proposta dos sindicatos patronais. A Categoria manteve resolveu aceitar a proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), que elevou para 7,5% o reajuste salarial da categoria (aumento real de 2%), a mesma que já havia sido ofertada anteriormente.

Segundo o Presidente do Sindicato, Carlos Eduardo Bezerra, o fato de a paralisação ter chegado ao fim em parte do País na noite da última quarta-feira (26), contribuiu para o termino no Ceará.

“Os bancários resolveram fazer uma nova assembleia para reavaliar as propostas. Como o cenário não é favorável, uma vez que a greve perdeu força com o fim da paralisação em alguns estados Brasil, foi decidido que todos os bancos do Ceará voltarão a abrir amanhã (sexta-feira)”, pontuou o mandatário.

Reajustes

As propostas aceitas foram:

-Reajuste 7,5% (aumento real de 2,02% pelo INPC)

-Piso R$ 1.519 (reajuste de 8,5%, o que significa 2,95% de ganho real)

-Piso dos caixas R$ 2.056,89 (8,5% de reajuste)

-Auxílio-refeição R$ 472,15 (R$ 21,46 por dia), com reajuste de 10%

-Cesta-alimentação R$ 367,90 (reajuste de 10%)

-PLR (Participação nos Lucros e Resultados 90% do salário mais R$ 1.540 fixos (reajuste de 10%), com teto de R$ 8.414,34 (reajuste de 10%). Caso a distribuição do lucro líquido não atinja 5% com o pagamento da regra básica, os valores serão aumentados para 2,2 salários, com teto de R$ 18.511,54 (10% de reajuste)

-PLR adicional 2% do lucro líquido distribuídos linearmente, com teto de R$ 3.080 (reajuste de 10%)

-Antecipação da PLR 54% do salário mais valor fixo de R$ 924,00, com teto de R$ 5.166,01 e parcela adicional de 2% do lucro líquido do primeiro semestre distribuído linearmente, com teto de R$ 1.540,00.

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Comentários

Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios