Lula recomenda que Serra peça aposentadoria da vida pública

Foto: Diário do Nordeste

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recomendou ontem que o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, 70, se aposente da vida pública. No palanque de seu afilhado político, o petista Fernando Haddad, Lula disse que o tucano “deve estar desesperado porque não tem mais idade para disputar a Presidência”.

Após dizer que Serra tomou uma surra na corrida pela Presidência em 2010, Lula ironizou: “Agora volta para São Paulo como se São Paulo fosse um cabide de emprego. Ai, meu Deus, requere a aposentadoria que é melhor”.
Sem citar o nome de Serra, ele afirmou que um dos adversários de Haddad elegeu-se prefeito e “se mandou”. “Depois, ficou três anos no governo e se mandou para disputar a Presidência. Tomou uma chulada”, discursou o ex-presidente.

 

Experiência

Contra o líder da disputa pela prefeitura, Celso Russomamno (PRB), Lula insistiu na ideia de que administrar São Paulo exige experiência.”Não é coisa para amador”, endossou a ministra da Cultura, Marta Suplicy, recém-nomeada para a Esplanada dos Ministérios depois de se engajar na campanha de Haddad.

Marta e Lula participaram de dois comícios na zona leste, onde o PT sua para recuperar os eleitores hoje simpáticos a Russomanno.

Para reconquistar os redutos petistas, Lula frisou que é o PT que se dedica aos pobres, bandeira empunhada por Russomanno. “Rico não precisa de prefeito, de presidente, de governador. O pobre precisa”, disse Lula. Segundo petistas, Lula repete, em suas conversas, que Russomanno é o candidato cuja imagem mais se assemelha à sua: de defensor dos pobres. Por isso, Lula martelou, em dois comícios na periferia da cidade (São Miguel Paulista e Cidade Tiradentes) que ele e Marta são perseguidos pelas elites.

Também sem fazer menção ao julgamento do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), Lula afirmou que “a elite tentou dar um golpe em 2005”, a exemplo do que acontecera com Jango e Getúlio Vargas. Foi em 2005 que estourou o escândalo do mensalão, denunciado pelo presidente do PTB, Roberto Jefferson.

No comício, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, associou a eleição municipal com o processo do mensalão. Ele disse que a “história do governo Lula” e o governo Dilma estão em jogo na disputa eleitoral. O ministro, que sonha em ser escolhido para concorrer ao governo de São Paulo em 2014, incentivou a militância a seguir de “cabeça erguida” na campanha.
Dentro da estratégia de reaver a imagem de justiceiro para os petistas, Lula disse que foi “por se meter a fazer coisas para os pobres” que “não deixaram” Marta se reeleger prefeita em 2004.

Desemprego

Num ataque a Russomanno, Haddad repetiu nos dois discursos que a proposta do candidato do PRB pode levar o desemprego para a periferia.
Segundo ele, com a hipótese de pagar um vale-transporte maior conforme a distância, as empresas vão priorizar os moradores dos bairros centrais na hora de contratar. “Aí desemprega as pessoas de Cidades Tiradentes para empregar o trabalhador que mora mais perto. Isso é justo?”, perguntou.

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Comentários

Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios