Presos teriam comprado votos com dinheiro desviado em Trairi

Foto: Kid Júnior

Treze pessoas foram presas nesta quarta-feira suspeitas de participar de corrupção eleitoral no município de Trairi. A Operação Trairi Limpa II investiga susposta formação de quadrilha e corrupção eleitoral consistente no uso da máquina pública para beneficiar os candidatos.

Coletiva no Ministério Público Federal com o coordenador do Centro de Apoio de Operacional Eleitoral Raimundo Nogueira Filho, procurador Regional Eleitoral Márcio Andrade Torres e o delegado da Polícia Federal Janderlyer Gomes. 

A operação cumpriu 27 mandados de busca e apreensão e 13 de prisões temporárias expedidos pelo juiz eleitoral, Fernando Teles de Paula Lima.

De acordo com o delegado da Polícia Federal Janderlyer Gomes as investigações de corrupção eleitoral tiveram início há um mês a partir das primeiras investigações da Operação Trairi Limpa I que descobriu o desvio de verbas públicas de R$ 20 milhões. “A Polícia Federal passou a investigar o crime eleitoral a partir de dados coletados na Operação Trairi Limpa desencandeada pelo Ministério Público Estadual em Trairi e que detectou desvio de recursos públicos. A operação de hoje o inquérito foi instaurado visando apurar a possível utilização desse recurso desviado na compra de votos”, esclareceu o delegado.

Compra de votos

Conforme a PF, a suposta compra de votos se dava com a distribuição de remédios e dentaduras. A primeira-dama de Trairi Silvia Virgínia Aguiar e o filho do prefeito, que é secretário de administração, Gustavo Viana Aguiar, foram presos. Segundo o promotor de Justiça de Trairi, Igor Pereiro foram encontrados indícios do crime de compra de votos na casa da da primeira dama. “Na casa da primeira-dama, foram encontradas várias caixas de remédio. Havia receituário médico em cima de cada remédio. Uma possível indicação de que estava havendo entrega de medicamentos a eleitores”, explicou o promotor.

Além da primeira-dama e o filho do prefeito, na Operação Trairi Limpa II foram presos o vereador Francisco Magno Magalhães, que é candidato a prefeito apoiado pela gestão municipal, o presidente da câmara Antônio Barros Barbosa, a vereadora Francisca Oneide benevides e a candidata a vereadora Rebeca de Castro Andrade. Juntamente com o vice-prefeito do município, Francisco Flávio de Azevedo, duas mulheres que trabalham como cabo eleitoral, Maria Gorete Souto Pinto e Elis Regina Vital, além de um comerciante local identificado como Antônio Eduardo.

Em coletiva na tarde desta quarta-feira, p procurador Regional Eleitoral, Márcio Andrade Torres informou que a prisão temporária vai ajudar o Ministério Público nas investigações. “Todas aquelas pessoas que foram alvos de uma busca e apreensão e de uma prisão temporária, elas tem um envolvimento premilinar com relação aos fatos, mas envolvimento só vai ser melhor delimitado com o aprofundamento das investigações”.

Desvio de verbas e corrupção eleitoral

Foram expedidos novos mandados de prisão para o secretário de Saúde, José Evandro da Cunha e a secretária de Educação, Maria das Graças Barbosa. Eles já estavam presos acusados de desvio de verbas, e agora foi expedido mais um mandado de prisão contra os dois.

Esta segunda operação foi realizada pelos promotores de justiça  Andre Clark Cavalcante, Igor Pereira Pinheiro, Eloison Landim e Epaminondas Vasconcelos e coordenada pela Superintendência da Polícia Federal em parceria com a Procuradoria Regional Eleitoral.

Ainda neste mês de setembro, oito pessoas foram presas suspeitas de desvio de verbas de R$ 20 milhões no Trairi. A Justiça decretou a prisão de 16 gestores públicos, advogados e empresário por fraudes em licitações públicas.

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Comentários

Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios