Agricultores enfrentam fila para receber os benefícios

Começa o pagamento do Bolsa Estiagem para os trabalhadores rurais que registraram perdas em suas lavouras

FOTO: SILVANIA CLAUDINO

Casa Lotérica em Crateús registrou movimentação maior de trabalhadores. Com a greve dos bancos, aumenta a dificuldade para saque da parcela

Crateús Agricultores de todo o Estado lotam, desde ontem, as Casas Lotéricas para receber o pagamento do Bolsa Estiagem, seguro do Governo Federal para trabalhadores rurais que perderam parte ou o total da safra por conta da seca que atinge 178 dos 184 Municípios do Ceará. Em Crateús, cidade que está na região mais atingida pela seca no Estado, os Inhamuns, cerca de 13 mil agricultores recebem o auxílio. Devido à greve dos bancos, deflagrada na última terça-feira, os agricultores se dirigem apenas às duas Casas Lotéricas, que estão com extensas filas para atender à grande demanda.

O benefício garante o pagamento de cinco parcelas de R$ 80,00 a 205 mil agricultores em todo o Ceará. O Bolsa Estiagem pagará um valor total de R$ 82,3 milhões aos agricultores cearenses. Os pagamentos são feitos na rede credenciada da Caixa Econômica Federal, seguindo o calendário de pagamento do Bolsa Família. Tem direito ao benefício famílias que residem em Municípios onde foi decretada situação de emergência; estão dentro dos critérios do Programa Garantia Safra; e inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

“Esses benefícios minimizam os efeitos da estiagem. Serão injetados cerca de R$ 58 milhões na economia do Ceará”, diz Nelson Martins, secretário de Desenvolvimento Agrário do Ceará.

Ajuda

Os agricultores comemoram o recebimento dos benefícios, que chegam como um alento nesses tempos difíceis, em que não teve safra, a água está cada vez mais escassa e não há pasto para os animais. Embora considerem pouco o valor do recurso, admitem que ameniza a situação difícil no campo.

“É uma ajuda para mim e para minha família, enquanto chega o inverno. Eu plantei neste ano, mas não tirei nada. Só deu tempo o legume nascer e a chuva foi pouca, não deu para vingar”, afirma o agricultor José Ferreira, que reside na localidade de Marica, a seis quilômetros da sede do Município de Crateús.

Luzimar Fernandes, agricultora que mora na sede do Município e planta todos os anos na localidade de São Gerardo, a dez quilômetros da sede, também estava na fila para receber o benefício. Ela garante que o dinheiro ajuda nas despesas de casa. “Os custos agora estão maiores, ainda mais porque tem os animais no Interior, que também precisam de alimentação”, afirma ela. A agricultura lamenta também a perda total da safra. “Plantei pouquinho e nada colhi, esse ano está sofrido”.

A secretária geral do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Crateús (STTR), Maria de Fátima Alves, ressalta que o auxílio minimiza a grave situação dos trabalhadores.

“É verdade que esses programas aliviam um pouco a situação difícil que os agricultores passam nesse momento, de perda de safra, mas não resolvem a realidade de seca. Muitos criam animais e o recurso acaba sendo pouco para tantas despesas com a família e os animais”, destaca a secretária.

Garantia Safra

A Secretaria do Desenvolvimento Agrário realizou encontro com prefeitos, secretários municipais de Agricultura e representantes dos movimentos sociais na primeira quinzena deste mês, para debater os critérios para o Garantia Safra 2012-2013.

A coordenadora nacional do Garantia-Safra da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Dione Maria Freitas, informou que os agricultores que estão recebendo o Bolsa Estiagem já podem se inscrever para o Garantia Safra 2012/2013.

A coordenadora anunciou também que o MDA destravou o valor máximo pago para o seguro, que é definido por lei federal. Antes, era de R$ 700,00 e, agora, vai para R$ 1.200. O Garantia Safra também vai diminuir o limite de área plantada de dez para cinco hectares.

“Haverá mudança no processo de verificação de perdas. Agora, o Município não terá um número fixo de laudos a serem feitos. A quantidade de documentos será de acordo com o número de agricultores aderidos ao programa”, informou Dione.

Para a safra 2012/2013, o Garantia Safra vai pagar R$ 760,00 para os trabalhadores aptos ao benefício. Cada agricultor vai contribuir com R$ 9,50, ficando as demais parcelas para os municípios, com R$ 28,50; os Estados, com R$ 57,00; e a União, que vai contribuir com o valor de R$ 190,00, por cada agricultor cadastrado no Programa.

O Ceará vai ampliar a cota do Garantia Safra de 300 mil para 350 mil vagas. A próxima estação de chuvas no Estado, como em todos os anos, é prevista para fevereiro a junho de 2013, caso a pluviometria seja favorável.

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Comentários

Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios