Eleições 2016: PROPAGANDA ELEITORAL PERMITIDO – PROIBIDO

Você sabe o que pode ou não pode na propaganda eleitoral nas Eleições 2016?

É Proibida a Propaganda Eleitoral

>> Nos bens cujo uso dependa de permissão ou cessão do Poder Público, ou que a ele pertençam, e nos bens de uso comum, inclusive postes de iluminação pública, sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos, é vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza, inclusive pichação, inscrição a tinta e exposição de placas, estandartes, faixas, cavaletes, bonecos e assemelhados.

NOTE BEM! Bens de uso comum, para ns eleitorais, são os assim denidos pelo Código Civil e também aqueles a que a população em geral tem acesso, tais como cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, templos, ginásios, estádios, ainda que de propriedade privada.

>> Paga: no rádio, na televisão e na internet.

ATENÇÃO! Será punida, na forma da lei, a emissora que, não autorizada a funcionar pelo poder competente, veicular propaganda eleitoral.

IMPORTANTE! A partir de 30 de junho, as emissoras de rádio e televisão cam proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré- candidato.

>>Por meio de adesivos ou cartazes em táxi, ônibus e veículos de aluguel, por serem bens que dependem de cessão ou permissão do Poder Público e de uso comum.

>>Mediante showmício e evento assemelhado, bem como a apresentação, remunerada ou não, de artistas para animar comício e reunião eleitoral.

>>Nas árvores e nos jardins localizados em áreas públicas, bem como em muros, cercas e tapumes divisórios.

>> Mediante outdoors.

>> Via telemarketing

>> Por meio de simulador de urna eletrônica.

TAMBÉM SÃO PROIBIDAS: as propagandas que impliquem oferecimento, promessa ou solicitação de dinheiro, dádiva, rifa, sorteio ou vantagem de qualquer natureza; perturbem o sossego público, com algazarra ou abuso de instrumentos sonoros ou sinais acústicos; prejudiquem a higiene e a estética urbana; e que caluniar, difamar ou injuriar quaisquer pessoas, bem como órgãos ou entidades que exerçam autoridade pública.

NA CAMPANHA ELEITORAL É VEDADA a confecção, utilização, distribuição por comitê, candidato, ou com a sua autorização, de camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas ou quaisquer outros bens ou materiais que possam proporcionar vantagem ao eleitor, respondendo o infrator, conforme o caso, pela prática de captação ilícita de sufrágio, emprego de processo de propaganda vedada e, se for o caso, pelo abuso do poder.

——-

É Permitida a Propaganda Eleitoral

>>Por folhetos, volantes e impressos, os quais devem conter o número de inscrição no CNPJ ou o número do CPF do responsável pela confecção, bem como de quem a contratou, e a respectiva tiragem, e devem ser editados sob a responsabilidade do partido político, da coligação ou do candidato, respondendo o infrator pelo emprego de propaganda vedada e, se for o caso, pelo abuso do poder.

>>Mediante comícios, no horário das 8 h às 24 h, com exceção do comício de encerramento da campanha, que poderá ser prorrogado por mais duas horas.

ATENÇÃO! Durante a realização de comícios é permitida a utilização de aparelhagem de sonorização xa e trio elétrico.

>>Por meio de alto-falantes ou amplicadores de som, entre as 8 h e as 22 h.

IMPORTANTE! São vedados a instalação e o uso de alto-falantes ou amplicadores de som em distância inferior a duzentos metros:
I – das sedes dos Poderes Executivo e Legislativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, das sedes dos Tribunais Judiciais, dos quartéis e de outros estabelecimentos militares;
II – dos hospitais e casas de saúde;
III – das escolas, bibliotecas públicas, igrejas e teatros, quando em funcionamento.

>>Pela circulação de carros de som e minitrios como meio de propaganda eleitoral, desde que observado o limite de oitenta decibéis de nível de pressão sonora, medido a 7 m de distância do veículo, e respeitadas as vedações previstas na Res. TSE nº 23.457/2015, art. 11.

>>Por meio de colocação de mesas para distribuição de material de campanha e a utilização de bandeiras ao longo das vias públicas, desde que móveis e que não dicultem o bom andamento do trânsito de pessoas e veículos.

ATENÇÃO! A mobilidade referida acima estará caracterizada com a colocação e a retirada dos meios de propaganda entre as 6 h e as 22 h.

>>Em veículos, desde que sob a forma de adesivos microperfurados até a extensão total do para-brisa traseiro e, em outras posições, adesivos até o tamanho máximo de 50 cm por 40 cm, respeitado o máximo de justaposição de 0,5 m².

>>Na fachada das sedes e dependências dos partidos políticos, a inscrição do nome que os designe, pela forma que melhor lhes parecer.

>>Em bens particulares, desde que seja feita em papel ou em adesivo e não exceda a 0,5 m², sendo proibida inscrição ou pintura nos muros, paredes ou fachadas.
ATENÇÃO! A justaposição de adesivo ou de papel cuja dimensão exceda a 0,5 m² caracteriza propaganda irregular, em razão do efeito visual único, ainda que a publicidade, individualmente, tenha respeitado o limite de 0,5 m². IMPORTANTE! A veiculação de propaganda eleitoral em bens particulares deve ser espontânea e gratuita, sendo vedado qualquer tipo de pagamento em troca de espaço para essa nalidade.

>>Na imprensa escrita e pela reprodução na Internet do jornal impresso, até a antevéspera das eleições, poderá ser realizada a divulgação paga, de até dez anúncios de propaganda eleitoral, por veículo, em datas diversas, para cada candidato, no espaço máximo, por edição, de ⅛ de página de jornal padrão e de ¼ de página de revista ou tabloide.

>>No rádio e na televisão, mas somente a propaganda eleitoral gratuita, que ocorrerá nos seguintes períodos: 1º turno: de 26 de agosto a 29 de setembro; 2º turno: a partir de 48 horas da proclamação provisória dos resultados do primeiro turno e até 28 de outubro.

>>Na internet, a partir do dia 16 de agosto do ano da eleição, podendo ser realizada nas seguintes formas: I – em sítio do candidato, do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, em provedor de serviço de internet estabelecido no País; II – por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, partido ou coligação; III – por meio de blogs, redes sociais, sítios de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos ou coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural.

Fonte: TRE-CE

Baixe o Informativo aqui

Comentários

Comentários

Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios