Fortaleza e Polícia Militar divergem sobre plano de segurança

Foto: Diário do Nordeste

A medida educativa do Ministério Público que suspendeu a Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF) de entrar em estádios por 90 dias tem gerado polêmica. O diretor de publicidade e relações públicas do Fortaleza, Fábio Mota, questionou a iniciativa do MP-CE e disse a torcida organizada do Ceará Sporting Club, Cearamor, também deveria sofrer punição.

De acordo com o diretor, nos dias que antecederam o jogo, houve incitação à violência por parte da Cearamor, por meio das redes sociais, para participarem do jogo representando o Paysandu. “A torcida incitou a violência, convocando a comparecer o torcedor a um jogo que não era do seu time”, ressaltou.

Reclamação com a polícia

Segundo Fábio Mota, O Fortaleza Esporte Clube solicitou à Polícia, para que os assentos dos torcedores visitantes fossem contrários aos da TUF, justamente para evitar que fossem arremeçadas bombas. A solicitação ocorreu durante as reuniões de plano de ação que antecederam os jogos.

Também foi questionado o fato de que a torcida organizada do Paysandu foi proibida de entrar nos estádios do Pará, devido à violência. De acordo com Fábio, o comandante da Companhia de Policiamento de Eventos, major George, foi informado dos problemas e não tomou nenhuma atitude para evitar o confronto entre as torcidas.

O diretor disse ainda que a torcida organizada do Fortaleza mereceu ser punida, mas que 90 dias foi uma medida exagerada. “A TUF mereceu ser punida, mas o major vem mostrando incompetência e isso está evidente. Chegou a hora de se trocar o comando. A cada jogo, desde o Campeonato Cearense, vêm acontecendo falhas”, explicou.

Polícia se defende

O comandante da Companhia Independente de Policiamento de Eventos (Cipe), George Benício, disse que o plano de ação para a segurança dos jogos é de responsabilidade do clube mandante, no caso de domingo (16), o Fortaleza Esporte Clube. “O clube apresenta para a polícia o plano de ação e nós analisamos se concordamos ou não. Seguimos exatamente como manda o estatuto do torcedor”, enfatiza Benício.

O Fortaleza alega que teria solicitado para a PM que os assentos dos torcedores visitantes fossem contrários aos da TUF, Benício defende-se destacando que por questões estruturais não tem como o torcedor visitante ser colocado do outro lado. “Com a reforma do estádio, não temos portões que facilitem o acesso dos torcedores visitantes para o lado que o Fortaleza questiona”.

Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Comentários

Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios