Italiano é preso na Beira-Mar

O estrangeiro foi autuado na Dececa por estupro de vulnerável. O europeu está preso na Delegacia de Capturas

FOTO: JOSÉ LEOMAR

Um italiano de 69 anos foi preso, na tarde de ontem, acusado de aliciar duas garotas, na Praia do Náutico, na Beira-Mar. Segundo informações da Polícia, ele teria oferecido uma quantia em dinheiro a uma adolescente de 12 anos e a uma criança de 11 anos, para que elas fizessem poses eróticas e deixassem que ele as acariciasse. Ainda de acordo a Polícia, o engenheiro Gean Paolo Mendola, declarou que está no Brasil há 15 meses e tem o visto de permanência no País, desde junho. Ele mora no Ceará com a esposa, que é brasileira.
O comandante do BPTur, tenente-coronel Cláudio Mendonça, acompanhou a condução de Gean Paolo até a Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), onde ele e as duas supostas vítimas fariam exames de corpo de delito.
Testemunhas teriam visto a movimentação que se dava dentro do mar, próximo a areia, e acionaram os policiais do Batalhão de Proteção ao Turista (BPTur), que efetuaram a prisão em flagrante do italiano

Ao chegar à delegacia, Gean Paolo negou todas as acusações contra ele e disse estar tomando de banho de mar, quando as garotas se aproximaram e lhe pediram dinheiro. No entanto, a delegada Ivana Timbó, titular da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa), onde o flagrante-delito foi lavrado, disse que as versões das adolescentes, das testemunhas e dos PMs que presenciaram o fato, corroboram o abuso.

O tenente-coronel Cláudio Mendonça, comandante do BPTur, afirmou que, por estar em um lugar visível, o acusado chamou atenção dos passantes com sua ação criminosa. “Ele não tentou esconder o que estava fazendo. Depois de colocar as adolescentes em posições eróticas, ele as apalpou”, contou Mendonça.

Ivana Timbó disse que as investigações irão continuar, mas que o crime foi caracterizado. “Ele foi autuado por estupro de vulnerável e será transferido para a Delegacia de Capturas e Polinter (Decap)”, ressaltou.

A delegada disse também, que as vítimas não declararam endereço, nem nome dos pais, mas a Dececa já entrou em contato com o Conselho Tutelar para que as providências sejam tomadas. “Elas dizem que moram na rua. Podemos perceber que os vínculos familiares delas são vulneráveis e prejudicados”.

O advogado do italiano, Alfredo Ricardo, disse que a vítima da história é seu cliente. “A verdade logo aparecerá. Este homem é um cidadão. O rapaz, que serviu de testemunha para o caso pode até ser amigo delas”.

Fugiram de abrigo

Um trabalhador autônomo, que está diariamente da Beira-Mar, disse que as vítimas estão morando na rua, atualmente, e que elas fazem parte de um grupo de crianças e adolescentes que fugiram de um abrigo. A delegada disse que irá investigar o fato.

Fonte: Diário do Nordeste 

Comentários

Comentários

Tags
Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios