Brasil bate Fúria na prorrogação e conquista o hepta no Futsal

Oito anos após ter perdido um pênalti decisivo contra a mesma Espanha, jogador do Joinville faz gol a 19 segundos do fim e decide competição.

Em 2004, o fixo Neto saía do Mundial de Taiwan como grande vilão, ao perder a última cobrança na decisão por pênaltis contra a Espanha. Oito anos depois, o jogador do Joinville virou a página com uma atuação brilhante e decisiva na grande final da mesma competição, marcando o gol do título a 19 segundos para o fim da prorrogação. Jogando contra a mesma equipe espanhola, o defensor balançou a rede duas vezes na vitória do Brasil por 3 a 2, neste domingo, no ginásio Huamark, em Bangcoc – Falcãocompletou o placar, com Torras e Aicardo fazendo os gols dos europeus (assista aos gols da partida no vídeo acima). Pela sétima vez na história, o Brasil é campeão mundial de futsal, embora a Fifa só reconheça cinco destes títulos.

Dona de duas Copas do Mundo (2000 e 2004), a Espanha amargou o quarto vice-campeonato para o Brasil, em cinco decisões contra os arquirrivais. Além de 2012, o país ibérico foi derrotado pelo Brasil nas decisões de 1985 (competição organizada pela extinta Fifusa), 1996 e 2008.

Início truncado

O jogo começou truncado, com as duas equipes marcando muito. Aos dois minutos, Fernandinho arriscou da esquerda da quadra de ataque e mandou por cima. A resposta da Espanha veio em grande estilo. Em tabela rápida, Lozano recebeu livre e tocou para o gol. Vinicius tirou em cima da linha, salvando o Brasil.

Com mais de volume de jogo, a Fúria por muito pouco não perdeu o pivô Lozano, aos sete. Depois de um carrinho de Jé, o camisa 9 espanhol sentiu o tornozelo, deixando a quadra carregado e só voltando no fim do primeiro tempo. Mesmo sem um de seus principais jogadores, o time europeu seguiu levando perigo e, aos oito, Alemão fez jogada individual na esquerda e bateu em gol. A bola tocou em Ari e foi para fora.

Acuada, a seleção brasileira não conseguia ficar com a bola. Aos 12, Fernandão avançou em jogada de contra-ataque e chutou por cima do gol de Tiago, rente ao travessão. O goleiro brasileiro mal teve tempo de descansar. Segundos depois, o mesmo Fernandão dominou na entrada da área e chutou rasteiro. Tiago tirou com os pés.

A cinco minutos do fim, o Brasil finalmente conseguiu assustar a defesa adversária. Em saída rápida para o ataque, Vinicius rolou bola limpa para Ari, que acabou travado por Kike no momento da conclusão. Aos 18, Jé dominou na intermediária e Rafael Rato chegou chutando com força, assustando o goleiro espanhol Juanjo. A um minuto do fim, a Espanha perdeu outra grande chance, a última da etapa. Após cobrança de falta de Miguelin, Fernandão desviou de letra e a bola foi para fora, triscando o poste esquerdo de Tiago.

O Brasil voltou para o segundo tempo com Falcão em quadra. Logo na primeira jogada, o camisa 12 tentou surpreender Juanjo, arriscando da intermediária e quase acertando a meta.  Aos três, o craque tabelou com Fernandinho e bateu para fora, à direita do gol, mostrando que o panorama da partida havia mudado. A seleção sentiu o bom momento e continuou atacando. Aos quatro, Rato girou para cima de um marcador e chutou rasteiro. Juanjo tirou com o pé.

De tanto insistir, o Brasil conseguiu abrir o placar aos cinco. Após cobrança de escanteio de Rato, Neto pegou de primeira, acertando o canto esquerdo de Juanjo: 1 a 0. Em desvantagem, a Espanha passou a sair mais para o jogo e, aos seis, Ortiz recebeu na frente, mas parou em Tiago, que conseguiu fechar o ângulo. Inspirado, Neto seguiu desequilibrando. Aos sete, ele arrancou pela direita e soltou uma bomba, para uma difícil defesa de Juanjo.

Um minuto depois, foi a vez de Simi assustar a defesa espanhola. Após apertar a marcação do rival, o camisa 8 brasileiro encheu o pé e a bola passou rente ao poste direito. Como não fez o segundo, o Brasil acabou castigado aos 10. Em cobrança de falta frontal, Tiago deu rebote e Torras apareceu para conferir, igualando em 1 a 1. Um minuto depois, a Espanha viraria a partida. Em lance semelhante ao gol de Neto, Aicardo emendou cobrança de escanteio e Tiago não conseguiu segurar.

O Brasil não desistiu e, aos 13, Falcão chutou forte da lateral esquerda, para uma difícil intervenção de Juanjo. Aproveitando o desespero brasileiro, a Espanha teve a chance para liquidar aos 16, quando Torras carimbou o travessão, em cobrança de falta ensaiada. O gol perdido custaria caro ao time europeu. Jogando com Rodrigo como goleiro-linha, a seleção brasileiro foi para o tudo ou nada nos minutos finais e, logo na primeira jogada após a mudança, Falcão bateu de esquerda, da intermediária, empatando novamente a partida: 2 a 2. O gol fez o jogo ficar aberto nos minutos finais e, aos 19, Jé deixou Rato de frente para a meta, mas a finalização foi em cima de Juanjo, na última oportunidade do tempo normal.

Jogo aberto na prorrogação

A partida seguiu lá e cá na prorrogação e, aos dois minutos, Lin tentou um chute frontal e Vinicius tirou com o peito. Na jogada seguinte, Tiago lançou Falcão no ataque, ele dominou no peito, mas acabou adiantando muito, facilitando a defesa de Juanjo. A 45 segundos do fim do primeiro tempo, Miguelin limpou para o meio e soltou uma bomba. Tiago voou para salvar o Brasil. Antes do intervalo, Neto ainda assustou a defesa espanhola, finalizando rente à trave, na última oportunidade do período.

No segundo tempo, a primeira grande chance surgiu aos três minutos, quando Fernandinho dividiu com a defesa espanhola e a bola sobrou limpa para Neto, que mandou por cima. A pouco mais de um minuto do fim, a Espanha cometeu a sexta falta. Tiro livre direto para o Brasil. Na cobrança, Juanjo defendeu o chute de Rodrigo. A 19 segundos do fim, veio o momento que todos esperavam. Em jogada individual, Neto avançou pela lateral e soltou uma bomba certeira: 3 a 2. Jogando com Kike como goleiro-linha, a Espanha foi para o tudo ou nada nos segundos finais, mas não dava mais. O título era mesmo brasileiro, situação confirmada com a defesa de Tiago no último segundo.

Espanha: Juanjo, Kike, Aicardo, Alemão e Fernandão. Entraram: Ortiz, Torras, Álvaro, Miguelin, Lozano, Borja e Lin. Técnico: Venancio López.

Brasil: Tiago, Neto, Gabriel, Simi e Fernandinho. Entraram: Ari, Rafael Rato, Vinicius, Jé, Falcão, Wilde e Rodrigo. Técnico: Marcos Sorato.

 

Fonte: Globo Esporte

Comentários

Comentários

Tags
Mostre mais

Berg Pinheiro

Cearense nascido em Senado Pompeu no Ceará em 1988,foi radialista atualmente editor do Site Ceará Noticia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios